(62) 3238-1100 contato@hmap.org.br
Escolha uma Página

A técnica em enfermagem, Antônia Francisca Monteiro Bastos, de 48 anos, foi à primeira imunizada contra a Covid-19 em Aparecida de Goiânia, na região Metropolitana da capital. Além dela, outros quatro profissionais da saúde também receberam a primeira dose da vacina na manhã desta quarta-feira (20) no Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP), no Setor Cidade Vera Cruz. Participaram do ato, o governador Ronaldo Caiado (DEM), o prefeito Gustavo Mendanha (DEM), o secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, e demais autoridades.

Profissionais da saúde que atuam na linha de frente no tratamento da doença, idosos e pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência serão imunizados nesta primeira fase. A equipe da Secretaria de Saúde vai vacinar as pessoas desse primeiro grupo em seus locais de trabalho e nos abrigos onde moram. Não haverá postos fixos em funcionamento.  O município recebeu 7,2 mil doses da vacina, que serão aplicadas in loco, nas unidades de saúde e abrigos da cidade pela equipe da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

De acordo com a coordenadora de qualidade e epidemiologia do HMAP, Alana Oliveira da Silva, é importante priorizar a vacinação da equipe assistencial porque são eles que estão na linha de frente das UTIs e enfermarias. “Nós vacinamos todos os profissionais do plantão de hoje, os que estão trabalhando na linha assistencial, nas enfermarias e nas alas exclusivas para Covid-19. As próximas doses serão oferecidas para os colaboradores das áreas administrativas”, explicou a gestora.

Ao todo, segundo informações do Governo Federal, virão 200 mil doses para a cidade, o que corresponde a um terço da população aparecidense. Porém, neste momento, com as 7,2 mil doses disponibilizadas, 44% dos profissionais de saúde do município que atuam em unidades públicas e privadas e toda a população idosa e de pessoas com deficiência que vivem em abrigos será imunizada.

Quem pode vacinar neste primeiro momento?

– Profissionais de saúde que trabalham na linha de frente no combate à Covid-19;

– Idosos acima de 60 anos de idade que residam em instituições de longa permanência;

– Pessoas com deficiência que residam em instituições de longa permanência.