(62) 3238-1100 contato@hmap.org.br
Escolha uma Página

Nesta quinta-feira, 6 de junho, a ala infantil do Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP) completa um mês da sua abertura. Ela foi realizada antecipadamente pelo prefeito Gustavo Mendanha para ampliar a atenção às crianças durante a crise do atendimento pediátrico em Goiás. Agora, a nova ala já contabiliza mais de 140 diárias de UTI, cerca de 90 atendimentos ambulatoriais e 70 internações. Os atendimentos abrangem as crianças e adolescentes do município, da Região Metropolitana e do interior do Estado, com vagas organizadas pelo Complexo Regulador de Aparecida.

Com 10 leitos de UTI pediátrica, 15 apartamentos com 30 leitos de enfermaria infantil, as atividades na ala seguem o cronograma de atendimento gradual. “Inauguramos essa ala infantil com estrutura e equipamentos de ponta e profissionais altamente capacitados para que nenhuma criança sofra sem atendimento ou perca a vida por falta de leitos. Em apenas um mês já atingimos 62% da taxa de ocupação, oferecendo serviços de alto nível. Em Aparecida, a Saúde é uma prioridade e trabalhamos para oferecer mais e melhores atendimentos à população”, enfatiza o prefeito.

Humanização, segurança e conforto

Para atender de maneira humanizada com foco na segurança e no conforto dos pacientes, cada apartamento da ala pediátrica tem apenas dois leitos, além de camas para os acompanhantes, ar condicionado e televisão. Os ambientes são enfeitados com adesivos coloridos e a ala conta com brinquedoteca e refeitório próprio adaptado para o público infantil. O secretário de Saúde Alessandro Magalhães salienta que a assistência prestada aos pequeninos no HMAP, além de ser acolhedora, reforça “a independência que buscamos na nossa rede em Aparecida. Quando possível, evitamos encaminhar pacientes para outros serviços, a não ser em casos específicos”. Ele ainda acrescenta que até o final do ano planeja abrir o Hospital para todos os tipos de cirurgias eletivas, a hemodinâmica e a cirurgia cardíaca.

Impacto positivo na rede

Todas as vagas e serviços do HMAP são regulados pela Secretaria de Saúde de Aparecida (SMS) que encaminha quem precisa e deve ser atendido lá, desde a área ambulatorial (consultas agendadas) até as urgências, emergências e internações clínicas. A diretora de Urgências da SMS, Amanda Melo, frisa que o HMAP é “imprescindível e nossa rede teve um excelente impacto positivo com a abertura desta ala pediátrica. Há cerca de dois meses enfrentávamos um momento crítico de falta de leitos de pediatria no Estado e nossas UPA´s e Cais estavam superlotados de crianças que precisavam de atendimento ou internação. Mas estive, por exemplo, nas UPA´s Brasicon e Buriti Sereno nesta semana e percebi que as observações pediátricas estavam vazias porque os pacientes que têm necessidade de internação têm sido encaminhados e devidamente acolhidos no HMAP, que atende às crianças muito bem”.

Gestão planejada e eficiente

O prefeito Gustavo Mendanha destaca que o ministro da Saúde já colocou à disposição de Aparecida os recursos necessários para a aquisição do restante dos equipamentos do HMAP e que até o fim do ano, toda a unidade estará em pleno funcionamento. Evidenciando algumas das principais ações de seu governo na Saúde e o que ainda virá, ele cita a qualificação dos profissionais junto ao hospital paulista Sírio-Libanês, reconhecido nacionalmente como unidade de excelência. Também fala dos novos equipamentos já em funcionamento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e na UPA Flamboyant, do Centro de Especialidades que será inaugurado brevemente, mas que já está em atividade, e dos projetos para ampliação dos serviços de maternidade e criação de um hospital de combate ao câncer.

Maior Hospital Municipal goiano

Inaugurado no fim de dezembro de 2018, o HMAP é o maior hospital do Estado construído por uma prefeitura. A unidade tem 230 leitos, sendo 30 UTIs, 20 leitos destinados à urgência e 180 apartamentos. Quando estiver em pleno funcionamento, ele terá capacidade para realizar, mensalmente, cerca de 1,2 mil atendimentos de urgência e emergência, mais de 900 internações, 11 mil atendimentos ambulatoriais e 25 mil exames. Serão oferecidas, ainda, cirurgias geral, pediátrica, ortopédica, cardíaca e urológica.