(62) 3238-1100 contato@hmap.org.br
Escolha uma Página
No mês de agosto as instituições voltadas à promoção de saúde em vários países abraçam a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), definido pela Aliança Mundial para Ação em Amamentação (WABA, sigla em inglês). O tema da iniciativa em 2019 será “Empoderar as famílias para facilitar a amamentação”. O objetivo é enfatizar a importância do envolvimento de todos os familiares próximos, para que seja possível o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e de forma complementar até os dois anos de idade. Conforme a Aliança Mundial para Ação em Amamentação, uma abordagem que contemple os pais, familiares e os ambientes comunitários e de trabalho cria situações propícias e permite às mães amamentarem de forma otimizada. Uma das maiores barreiras para a prática ideal da amamentação é a falta de apoio aos pais, sobretudo no trabalho.

Os benefícios da amamentação:

Para a mãe: – Perda de peso após o parto. – O sangramento pós-parto diminui. – Reduzem as chances de desenvolver anemia, câncer de mama e de ovário, diabetes e infarto cardíaco. – Favorece a relação afetiva com o bebê Para o bebê: – Durante a amamentação, o bebê recebe os anticorpos da mãe para proteção contra diarreia e diversos tipos de infecções, principalmente as respiratórias. – O leite materno diminui as chances de o bebê desenvolver alergias, colesterol alto, diabetes e obesidade. – O aleitamento materno também ajuda a criança a desenvolver-se bem, fisicamente e emocionalmente. – É importante para que a criança tenha dentes fortes e bonitos. – Contribui também para que o bebê tenha uma boa respiração. Dicas para uma boa amamentação: – Antes de amamentar, lave bem as mãos. – Deixe que primeiro o bebê esvazie bem uma mama, para só depois oferecer a outra, isto se ele não estiver satisfeito. – O leite do fim da mamada é mais rico em gordura, sendo assim, satisfaz mais o bebê e o ajuda a ganhar mais peso. – O bebê deve estar bem posicionado no colo da mãe durante a amamentação; – A boca do bebê deve abocanhar toda a aréola da mama

Brasil

As ações da SMAM são coordenadas pelo Ministério da Saúde desde 2007, em parceria com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que somente 40% das crianças têm amamentação exclusiva nos seis primeiros meses de vida. No Brasil, a licença-maternidade de 180 dias é praticada no setor público e por algumas empresas privadas. Mesmo assim, nem todas as mães têm esse direito. Também é preciso garantir a possibilidade de maior participação dos pais nesse processo que, atualmente, têm apenas cinco dias para ficar com a família. O apoio nesse momento da amamentação servirá como base para o desenvolvimento adequado da criança. Pesquisas demonstram que uma melhora desse quadro requer políticas de proteção social como legislação e locais de trabalho amigáveis. A aplicação dessas políticas é fundamental para promover a amamentação, a saúde e o bem-estar de forma ideal, além de proteger contra a discriminação no trabalho.

Bancos de Leite

A biomédica do Banco de Leite Humano do município de Anápolis, Fernanda Alves, explica que a instituição possui fonoaudiólogos, psicólogos, odontólogos, profissionais de laboratório e enfermagem que trabalham para atender e orientar as mães e gestantes. O banco de Leite de Anápolis atende as mães de Pirenópolis, onde se encontra o Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ). As Unidades de Atenção Básica de Santa Helena, onde se encontra o Hospital Estadual da Região Sudoeste (HURSO), realizam orientação para as gestantes durante as consultas de pré-natal e formam grupos de gestantes para trabalhar o tema. No puerpério também trabalham no incentivo e apoio as mulheres com dificuldades. O Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI) também possui o Banco de Leite Humano (BLH) que faz parte da Rede de Bancos de Leite Humano do Estado. O BLH do HMI é referência e disponibiliza leite humano para recém-nascidos prematuros e de baixo peso. A unidade é abastecida com doações de mães com excedente de leite, que realizam a doação no próprio local ou armazenam o produto em casa.